Foto: Handout/AFP/Ministry of Civil Aviation

Desde o dia 24 de janeiro, informes sonoros em português, inglês e mandarim alertam os passageiros dos aeroportos internacionais do Brasil sobre os sintomas do coronavírus. A medida da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), apoiada pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), soma-se a outras ações como o reforço da limpeza e desinfecção de aeronaves. Os procedimentos foram tomados com o objetivo de evitar a transmissão do novo vírus, descoberto na China no final do ano passado e que pode causar graves problemas respiratórios.

Até o momento, 910 mortes já foram confirmadas com a doença e quase 30 países foram afetados. Mas, afinal, como se proteger da contaminação? É preciso cancelar aquela viagem ao exterior?
Segundo Virgínia Andrade, vice-presidente da Sociedade Mineira de Infectologia e diretora do Hospital Eduardo de Menezes, neste momento, as viagens para outros países – fora das regiões de surto – não oferecem riscos. “Não há motivos para criar pânico. A doença tem uma transmissão sustentada no território da China”, explica. 

Transmissão

Segundo ela, para ocorrer a contaminação é preciso ter ido ao país e contraído o vírus ou ter tido contato direto com pessoas que estiveram no território chinês e foram contaminadas. 

A infectologista explica ainda que a doença é transmitida por meio do contato com secreções oronasais, como gotículas de saliva, por exemplo. Contato com superfícies contaminadas seguido por contato com boca, nariz ou olhos também pode levar à contaminação. “Por isso, falamos para higienizar sempre as mãos. Tanto com água e sabão quanto com álcool em gel”, ressalta. O ideal, segundo ela, é usar máscara, caso existam pessoas próximas com tosse. 

Virgínia esclarece que entre os primeiros sintomas do coronavírus estão febre, tosse, dor de garganta e pode ocorrer também falta de ar. “Caso a pessoa suspeite da contaminação, deve procurar qualquer unidade de saúde”, diz.

Quem for viajar ao exterior não deve esquecer de contratar um seguro-saúde e ficar atento ao noticiário para se atualizar sobre as orientações das autoridades locais. Fora isso, vale sempre ter um álcool em gel à mão. 

Cruzeiros negam embarque a pessoas que estiveram na China

Os cruzeiros se tornaram alvo de preocupação no caso do coronavírus, já que podem se transformar num núcleo de contaminação flutuante. Já são mais de 7.500 pessoas isoladas em navios na costa do Japão e de Hong Kong devido à contaminação a bordo. O Diamond Princess está no porto de Yokohoma, no Japão, e já tem 61 casos confirmados da doença. Na Itália, 6.000 pessoas foram obrigadas a permanecer a bordo do Costa Esmeralda até que fosse analisados exames de dois passageiros com gripe. Um navio da Aida Cruises não pôde atracar em Santa Lúcia (Caribe) por suspeita de infecções. 

Para conter a transmissão da doença nos cruzeiros, os membros da Associação Internacional de Navios de Cruzeiros (Clia) suspenderam a movimentação de tripulantes da China continental e vão negar o embarque de qualquer indivíduo, seja passageiro ou tripulante, que tenha viajado pelo território chinês nos 14 dias anteriores.

Além disso, as empresas estão avaliando continuamente a modificação de itinerários, e muitos navios foram desviados de Hong Kong e da China continental. A Clia também está realizando a triagem de passageiros. Por meio da medição de temperatura sem toque, é decidido caso a caso se um hóspede ou tripulante será impedido de embarcar. 

É recomendado que aqueles que compraram pacotes de cruzeiros certifiquem-se com as companhias sobre os roteiros e os procedimentos de segurança.

Quais são os países afetados?

China, Japão, Austrália, Camboja, Coreia do Sul, Filipinas, Índia, Malásia, Nepal, Singapura, Hong Kong, Sri Lanka, Taiwan, Tailândia, Vietnã, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Finlândia, França, Espanha, Itália, Reino Unido, Rússia, Suécia, Macau e Emirados Árabes Unidos. 

Como se dá o contágio?
De pessoa para pessoa pelo contato com secreções contaminadas como saliva, espirro, tosse e catarro. Ou ainda por aperto de mão ou contato com superfícies contaminadas seguido por contato com boca, nariz ou olhos. O vírus pode ficar incubado por duas semanas, quando os primeiros sintomas aparecem. 

Como se proteger?
A principal recomendação é lavar as mãos com sabão. Além disso:
* evite contato com pessoas que sofrem de infecções respiratórias;
* use lenço descartável para higiene nasal;
* cubra o nariz e a boca quando espirrar ou tossir;
* evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
* higienize as mãos depois de tossir ou espirrar;
* não compartilhe objetos de uso pessoal;
* mantenha os ambientes bem-ventilados;
- evite o contato próximo a pessoas que apresentem sinais da doença.

Informações

saude.gov.br/saude -de-a-z/coronavirus

 

Fonte conteúdo original: https://www.otempo.com.br/turismo/vai-viajar-saiba-quais-cuidados-voce-deve-tomar-contra-o-coronavirus-1.2296092